Escaiola ou Escariola

O CECI, através do Curso de Gestão de Restauro, lança mais uma ficha das Boas Práticas apresentando a técnica tradicional da escaiola. Trata-se de uma invenção feita no século 17 a partir da manipulação do gesso para imitar as mais belas pedras ornamentais.

Essa Ficha Técnica de Boas Práticas da Gestão de Restauro apresenta os procedimentos para a produção da escaiola, revestimento especial usado em paredes e demais componentes artísticos aplicados ou integrados na edificação. O objetivo é desvelar o segredo dessa técnica antiga e sofisticada de imitação das pedras ornamentais como o jaspe com suas nuances de cor e formas.

Visa estimular o “renascimento” da técnica do mármore-estuque ou escaiola junto aos arquitetos, artistas, estucadores e artesãos como uma alternativa na decoração de ambientes da arquitetura contemporânea. No âmbito da conservação do patrimônio cultural construído, fornece aos conservadores a possibilidade de intervenções seguras com base nas técnicas tradicionais da construção.

É possível fazer ressurgir no âmbito da arquitetura contemporânea a utilização do mármore artificial. Algumas razões podem ser elencadas: a possibilidade de acabamento com tipos de mármores raros cujas perfeições tornam impossível ao leigo distinguir ser uma pedra artificial; os preços muito elevados das pedras e mármores raros;  a possibilidade de a escaiola ser moldada em qualquer forma, algumas impossíveis para as pedras verdadeiras; o custo acessível a grande maioria dos apreciadores de designer e revestimentos em mármore.

Observações: Para se obter um melhor resultado na resistência final da escaiola, é importante pontuar que na preparação da cola os melhores resultados são obtidos com a cal calcítica maturada por três anos. Essa cal, associada à cola animal de peixe vem dando excelentes resultados de trabalhabilidade e de resistência final do revestimento.

Um procedimento antigo é o de se fazer vários testes antes da aplicação da argamassa em suportes semelhantes ao local onde a escaiola será aplicada. A prática de se fazer testes e, inclusive, modelos reduzidos é antiga e garante os melhores resultados. Na Basílica da Penha no Recife (PE) é possível ver inúmeros teste feitos pelos estucadores com traços de escaiola e marmorino para a escolha das misturas de pigmentos. Esses testes encontram-se no intradorso do forro do deambulatório.

Baixe a Ficha Técnica da Escaiola e boas práticas!

Jorge Eduardo Lucena Tinoco, arquiteto

Você pode solicitar mais informações

Apoio:

O Portal Gestão de Restauro é administrado pela equipe do CECI-Educação  @2020

  • Gestão de Restauro CECI
  • CECI-Educação
  • Jorge E. L. Tinoco
  • Ícone do Twitter Cinza
  • Ícone do Facebook Cinza
  • Ícone do Instagram Cinza